conspiração, nova ordem mundial, illuminatis, enigmas

Internet boa para o cérebro

Veja o post AQUI.

Já leu?
Agora veja a última parte, o que eles pensam fazer no futuro, colocar chips no cérebro humano.

Imagine voce ter um super cérebro, uma memória de um autêntico guru, com todos os conhecimentos do google na sua memória por exemplo, isso seria bonito.. Mas depois aposto que isso virava monopólio, com custos muito altos, e a informação é como uma droga : ela vicia, se cobrassem muito dinheiro pela manutenção ou uma cota anual $ para termos o chip, se não pudessemos ter o chip e o retirassem, as pessoas ficariam com depressão porque perdiam os conhecimentos que tinham.
Ou se por exemplo o chip controlasse a mente das pessoas, etc.

One response

  1. Micro-chip RFID implantado em um homem é infectado por vírus de computadorSer humano é infectado por um vírus de computadorCientista, que instalou um chip sob a própria pele, explica que contaminou o chip de propósito para testar o risco de contágio em outros equipamentos.Um cientista britânico se apresentou ao mundo como o primeiro ser humano “infectado” por um vírus de computador.É um vírus, mas não desses que causam doenças como a gripe. O mal que o cientista contraiu não afetou o organismo dele. O contágio é típico da era da internet, uma doença virtual.Mark Gasson, doutor em cibernética, abre portas eletrônicas sem usar cartões magnéticos. O celular dele não funciona na mão de outra pessoa. Uma simulação mostra por quê. As ordens saem de um chip, instalado embaixo da pele. Foi esse chip que acabou sendo infectado por um vírus eletrônico.O doutor Gasson mostra que o vírus, criado num computador, foi transferido para o chip, por meio de sinais eletrônicos.O cientista explica que contaminou o chip de propósito, para testar o risco de contágio em outros equipamentos e alerta: o vírus pode sim ser transmitido para o celular de outra pessoa ou para o cartão magnético de alguém que passe pela mesma porta ou catraca.Já existem vários chips inseridos nos corpos das pessoas para controlar marcapassos de última geração, para armazenar fichas médicas de pacientes, para rastrear presos em liberdade condicional.Equipamentos menos vulneráveis, porque são protegidos por códigos especiais. Mas o doutor Gasson acredita que, logo, logo, as nossas vidas também poderão depender do combate ao vírus cibernético.http://news.bbc.co.uk/1/hi/technology/10159315.stm

    Maio 30, 2010 às 10:14 pm